Valuation

Obtenha uma avaliação gratuita do seu catálogo e saia na frente na negociação com fundos, investidores, empresários e majors (gravadoras e editoras).

As operações de compra e venda de catálogos musicais dispararam durante a pandemia. As estimativas apontam que somente em 2021 foram investidos mais de US$5bi (cinco bilhões de dólares) na compra de catálogos musicais, direitos de publicação e afins, considerando apenas acordos com valores publicados.

Um negócio que antes era restrito apenas aos grandes players da música (publishers, majors) passou a despertar o olhar e o interesse do mercado financeiro, especialmente após o boom das plataformas digitais e o crescimento exponencial das receitas da música. O perfil de compradores e vendedores mudou radicalmente e os próprios artistas passaram a negociar diretamente seus catálogos com fundos de investimento.

O interesse dos fundos de investimento veio acompanhado de intenso estudo do direito autoral, análise de dados e de modelos financeiros preditivos. Investidores e executivos do mercado financeiro se aproximaram das sociedades arrecadadoras e intensificaram o networking artísticos.

De outro lado, os músicos, ainda traumatizados com os efeitos da pandemia e, salvo raras exceções, com pouco conhecimento sobre a lógica do mercado financeiro, tiveram seus catálogos musicais avaliados sem ao menos entender sobre metodologias de avaliação de ativos musicais (existem ao menos 3 delas), estratégias de organização e documentação do catálogo para identificação de gargalos e melhora da sua posição de negociação (teoria dos jogos) e, por fim, não tiveram a oportunidade de ouvir outras propostas e gerar o efeito concorrencial entre os investidores, fator que beneficia a classe artística.

Muitos sequer sabiam que não precisavam negociar a titularidade de suas obras e acabaram cedendo seu acervo para uma empresa de investimentos, quando na verdade só queriam angariar fundos para um novo projeto, seja ele artístico ou pessoal, sem abrir mão da propriedade de seus catálogos.

%d blogueiros gostam disto: